Aprender a aprender: Um princípio de vida

21/07/2021

Ao longo de sua história, o SESI/RS vem construindo uma trajetória de Educação que considera o APRENDER um processo contínuo ao longo da vida. Para tanto, oferece formações nos níveis de Educação Infantil, Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos, Educação Continuada. Para que se torne um princípio de vida, entretanto, o aprendizado precisa ser sustentado por pilares cognitivos e socioemocionais sólidos, capazes de desenvolver competências que permitam aprender a aprender.

Aprendizado

Para aprender durante o seu percurso de vida pessoal e profissional, as pessoas precisam estar imersas em ambientes de aprendizagem que lhes proporcionem refletir sobre as situações que vivenciam, percebendo formas de intervir no mundo e interagir com os outros. Desse modo, por meio dos diferentes contextos, é possível a cada indivíduo identificar caminhos para resolver as situações-problemas que enfrenta ao longo de sua história.

Aprender a aprender

Para tanto, é necessário, acima de tudo, aprender a conhecer, competência também identificada como aprender a aprender. A partir dessa competência, é possível promover o domínio dos conhecimentos por meio dos contextos de vida, possibilitando que os indivíduos compreendam e interpretem suas realidades.

Acima de tudo, o aprender a aprender deve ser pautado pelo prazer de descobrir, de construir e de reconstruir o conhecimento, com base na capacidade de cooperar com o outro e agir de forma autônoma frente às conquistas das aprendizagens.

Para que o aprendizado se efetive de maneira significativa, entretanto, o aprender a aprender deve transcender a mera aquisição de conhecimentos. Pelo contrário, é fundamental considerar que cada pessoa tem suas bagagens e experiências, sua cultura, seu contexto de vida pessoal e profissional. Diante disso, para que cada um(a) encontre o melhor modo de desbravar o mundo, uma Educação que incentiva, encanta e transforma deve ser aquela que mobiliza três outros pilares: o aprender a fazer, a ser e a conviver.

Aprender a fazer

Esse é o pilar responsável por inspirar inovações e impulsionar o desenvolvimento das competências pessoais e profissionais.

Para tanto, os conhecimentos são colocados em prática, aplicados aos contextos e às situações de trabalho, em prol da melhoria do desempenho e do incentivo à coragem de executar suas ações, de correr riscos e de errar, quando se pretende acertar.

Aprender a ser

Essa competência promove o desenvolvimento integral do cidadão, considerando as suas expressões, a sua sensibilidade, a sua forma de pensar e as suas histórias de vida. Fundamenta-se pela responsabilidade e pelo compromisso ético e estético, pela formulação de juízo de valor próprio, pelo poder de decisão e de discernimento quanto ao modo de agir frente a diferentes situações e circunstâncias da vida.

Aprender a conviver

Por fim, a competência de aprender a conviver compreende a capacidade de descobrir-se diante de sua relação respeitosa e fraterna com os outros.

É por meio do diálogo, do compartilhamento de ideias e argumentos e da relação de interdependência existente entre as pessoas que o sujeito se descobre quanto ao seu modo de comunicar-se, de trabalhar com os outros, de gerir e resolver conflitos, de estabelecer relações estáveis e eficazes.

Integrar aprendizados para novas competências

Somente a partir da interação entre esses quatro pilares fundamentais, torna-se possível aprender uma nova competência. Os aprendizados são construídos quando têm utilidade e fazem sentido para o desenvolvimento e o aprimoramento pessoal e profissional. Promove-se, assim, a compreensão da realidade por meio do conhecimento dos diversos contextos de vida.

Em um mundo cada vez mais digital, pautado por inúmeras possibilidades de promoção de aprendizados múltiplos e interconectados, em plataformas e mídias diversas, o aprender a aprender promove a autonomia que possibilita a construção dos próprios sonhos, oferecendo ao indivíduo a liberdade de transitar nos diferentes espaços que o cercam, readequando percursos e criando caminhos quando necessário.

Por:

Andréa Novo Duarte
Pedagoga, Especialista e Mestre em Educação. Analista Técnico Especializada Sênior. Área de Serviços Digitais.

Felipe Bilharva da Silva
Doutor em Linguística. Analista Técnico Especializado Pleno SESI/RS. Área de Serviços Digitais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Educação tá on!
© Todos os direitos reservados.