A importância da gestão das emoções: reflexões extraídas de diverida mente (pixar, 2015)

4/08/2021

O filme Divertida Mente (PIXAR, 2015) trouxe para a cultura pop importantes discussões sobre a função das emoções no comportamento humano. Demonstrando ser mais do que uma animação despretensiosa, a obra discutia de maneira lúdica a importância de conhecer e gerenciar todas as emoções. Uma importante lição pertinente tanto para as crianças quanto para os adultos.

O que estimula as emoções?

No filme, Riley, uma menina de onze anos, vive com os pais em sua cidade natal. Em seu cérebro, cinco personagens representam cinco emoções básicas: Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojo − ainda que autores como Daniel Martins de Barros defendam que são apenas quatro as emoções primárias, excluindo-se o nojo −, dentre as quais se destaca a Alegria, a mais ativa. Em um determinado ponto da história, um evento importante ocorre na família: a necessidade de mudança para outra cidade, o que ocorre exatamente no fim da infância e início da adolescência de Riley. As mudanças afetam as cinco emoções, gerando inúmeras confusões na história.

Não à toa, o momento de maior efervescência das emoções é aquele em que um grande número de eventos importantes está ocorrendo na vida da personagem. De uma forma simples, quando falamos em emoções, nos referimos a um conjunto de reações que temos a partir de estímulos, ou seja, de fatores externos que percebemos no ambiente, ou até mesmo que imaginamos. É o nosso cérebro que está à frente desse conjunto de reações: ele coordena as emoções, que geralmente ocorrem de forma muito rápida. Eventos importantes, como a transição da infância para a adolescência e a mudança para outra cidade podem desencadear novas e mais complexas emoções.

Emoções são sentidas no corpo

Não raro, emoções e sentimentos são tratados como eventos místicos, que ocorrem em algum lugar fora de nosso corpo físico. Em Divertida Mente, nada acontece por acaso: todas as ações de Riley a um evento externo têm como origem a sala de comando, a partir da interação e do revezamento da tomada de protagonismo pelas emoções.

Na verdade, as emoções são estados mentais relacionados a alterações em nosso organismo em função de mudanças que percebemos no ambiente. Esses estados mentais direcionam os nossos comportamentos. Por se tratar de reações de nosso corpo, podemos dizer que as emoções dão origem aos nossos sentimentos.

Mesmo sendo coordenadas pelo cérebro, é no corpo que sentimos a emoção. Aquela sensação de frio na barriga quando algo muito importante está para acontecer, a sensação de falta de ar quando levamos um susto ou a mão que começa a suar quando vamos realizar uma apresentação em uma reunião importante? Tudo isso se relaciona a nossas emoções.

Por sua vez, os sentimentos são a interpretação, o significado que nós damos para todas essas mudanças fisiológicas que a emoção gerou. São os sentimentos que refletem como a gente se sente frente a uma emoção. Inclusive, eles podem ser mais duradouros do que as reações emocionais que os geraram.

Todas as emoções são importantes

Uma das grandes viradas de Divertida Mente ocorre quando as demais emoções percebem a importância da Tristeza, que até então era tratada como uma personagem inconveniente.

Talvez essa seja a grande lição do filme: todas as emoções são naturais e têm uma função. Elas nos alertam sobre alguma necessidade, algo que está sendo suprido ou que precisamos suprir. O medo ajuda a nos proteger de perigos, o nojo evita que comamos ou bebamos algo que pode fazer mal.

Existem emoções que geram sentimentos mais confortáveis, como a felicidade, a alegria ou o amor, enquanto outras se conectam a sentimentos mais desconfortáveis, como o medo e a tristeza. Tanto as confortáveis quanto as desconfortáveis são importantes. Acredite, não vale a pena evitar as emoções!

A importância de reconhecer as emoções

Como as emoções são o resultado de processos físicos, podemos aprender a reconhecê-las e, até mesmo, a gerenciá-las, a fim de evitar que sejam reproduzidos comportamentos indesejados a partir de uma emoção. Compreender os sinais emitidos pelo corpo e aprender a dar nome às próprias emoções pode ser o primeiro passo para uma vida mais equilibrada e madura emocionalmente.

Para auxiliar você nessa tarefa, o SESI/RS disponibilizará o curso “EmocionaMENTE: Reconheça suas Emoções”, focado em reflexões sobre habilidades essenciais para reconhecer as nossas emoções em diversos contextos. Você pode saber mais sobre o curso clicando aqui.


Maíra Pellin Feldmann
Gerência de Saúde Mental e Inovação – SESI/RS

Felipe Bilharva da Silva
Gerência de Serviços Digitais – SESI/RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Educação tá on!
© Todos os direitos reservados.